Fotografia e Contaminação da Água

Para todos aqueles que adoram fotografar:

"Na natureza, nada se deixa senão pegadas, nada se quebra, senão o silêncio, nada se tira senão fotos."

Quem ainda não ouviu algo semelhante a esta frase??! Todos os amantes da natureza e praticantes de ecoturismo gostam de tirar fotos para recordar as belezas de diferentes paisagens, fauna e flora, bons momentos com a turma ou a família. Ocorre que para cada rolo de filme revelado, são jogados na água, em algum lugar do mundo, 660mg de prata. Em 1997 foram revelados em nosso país 84 milhões de rolos, enquanto em 1998, 82 milhões. Segundo uma reportagem da revista Photos, isto corresponde a 109,3 toneladas de prata jogadas nas águas brasileiras nos últimos 2 anos!

A legislação brasileira permite que os efluentes industriais contenham até 0,1 mg/L de prata - lei 6938, de 1981, mas de acordo com dados do fabricante Kodak, os resíduos de laboratórios podem variar de 2 a 3 gramas por litro - 2000 vezes mais que o permitido.

Toda esta prata pode ser recuperada através de processo eletrolítico - isto é, uma reação química causada pela passagem de uma corrente elétrica, provocando a transformação da prata solúvel em prata metálica, através:

(Ag+) + (1e-) => Ag metálica

É um processo simples de redução, que qualquer adolescente aprende no primeiro ano do ensino médio/segundo grau. A prata sai praticamente pura e pode ser vendida e reciclada. Seu preço varia de R$170 a R$300/Kg.

Este processo, altamente eficiente e também muito usado em laboratórios, é o principal adotado nos Estados Unidos e Canadá, por exemplo, por empresas como Fuji, Dupont e Kodak, dentre outras, juntamente com os laboratórios fotográficos. Veja maiores detalhes na boa reportagem da Revista Photos, ano 1, no. 6, agosto/99.

Sugestão Prática: Todos aqueles amantes da fotografia recortem os rótulos das embalagens e enviem-nas ao fabricante junto com uma carta exigindo que contribuam efetivamente para a preservação da qualidade da água e para a diminuição da exploração das minas de prata, implementando a recuperação da prata de efluentes via deposição eletrolítica junto aos laboratórios de revelação. Esta medida está de acordo com as p proposições da Agenda 21 e com as normas ISO 14000.

Façamos nosso papel de consumidores responsáveis!

Para saber mais sobre as normas ISO 14000 de gestão ambiental, visite o site
www.iso14000online.com.br

 

eXTReMe Tracker